Zur Startseite

Aspetos de implementação de Dispositivos TP KNX

Será confrontado com diferentes termos técnicos, tais como: “BIM”, “BCU”, “SIM”, “TPUART”, “chipset” e “pacote de comunicação”, ao analisar o mercado. Estes termos representam as diferentes possibilidades de desenvolvimento de um equipamento de TP KNX.

BCU “Bus coupling units” (Unidades de acoplamento do barramento)

São dispositivos de sistema que incluem os circuitos de acoplamento KNX, um microprocessador e que são fornecidos com um invólucro. O programador do dispositivo só necessita de desenvolver o módulo da aplicação e o hardware e software de aplicação.

  BIM “Bus Interface Modules” (Módulos de Interface de Barramento)

Basicamente, são construídos como o interior (miolo) de um BCU com portas adicionais I/O. Os BIMs são vendidos como módulos que podem ser soldados diretamente à placa do circuito. Existem versões com 8KB e 48KB de memória flash para o software da aplicação. A programação do software é realizada num ambiente de desenvolvimento que integra um “Evaluation board” (Quadro de Avaliação), “On-Chip Debug Emulator”(Emulador de Depuração On-Chip (no Chip)) e C-Compiler (Compilador-C).

SIM “Serial Interface Modules” (Módulos de Interface de Série)

Contêm o sistema completo de comunicação com aplicações. O hardware e o software de aplicação é acoplado à peça de comunicação através de uma interface de série. Os SIMs são vendidos como módulos que, posteriormente, são soldados diretamente à placa de circuitos.

BAOS “Bus Access and Object Server” (Servidor de Objetos e de Acesso a Barramento)

O Módulo BAOS é uma interface KNX simultaneamente ao nível de Telegrama (Camada de Ligações KNX) e de Datapoint (Banco de Dados) (Camada de Aplicações KNX). O formato telegrama está em conformidade com a FT1.2. Está disponível um protocolo de série otimizado para as comunicações ao nível do Data- Point (Banco de Dados).

Chipset (conjunto de circuitos integrados)

São disponibilizados Chipsets de BIMs para contornar as restrições mecânicas dos BIMs. Não existe qualquer diferença entre BIMs e Chipsets a nível do software.

TPUART

O TPUART só contém o acoplamento ao KNX. O software de comunicação é fornecido através de um microcontrolador. O TPUART foi desenvolvido por um lado, para aliviar o microcontrolador das funções de codificação e descodificação de bits e, por outro lado, para permitir o acoplamento ao KNX através de diferentes micro-controladores.

Pacote de Comunicação

Para desenvolver um dispositivo KNX com TPUART, é necessário um pacote de comunicação. Este tipo de acoplamento constitui a forma mais eficiente, flexível e menos dispendiosa de desenvolver um dispositivo KNX. Para eliminar a necessidade de o programador ter de se familiarizar com os detalhes de comunicação KNX, os fornecedores de sistemas KNX disponibilizam um pacote de comunicação KNX. O acoplamento ao KNX é realizado através de um acoplador KNX externo, do tipo TPUART, FZE1066. O pacote de comunicação KNX oferece interfaces adicionais para programar a aplicação em causa.

Qual a solução adequada?

Os módulos (BIM, SIM BAOS) são recomendados no caso de quantidades de produção mais pequenas. Oferecem um baixo custo de desenvolvimento (programação) e certificação e são ideais para iniciar a programação KNX. Se o espaço disponível se tornar insuficiente ou se as quantidades de produção aumentarem, então os chipsets são uma alternativa interessante. Os custos iniciais são apenas um pouco superiores quando comparados com os do BIM. O TPUART é a solução mais popular no caso de grandes quantidades de produção. A vantagem do TPUART é o baixo custo unitário, embora, por outro lado, tenha os custos mais elevados de desenvolvimento (programação) e certificação. Em alguns casos específicos, também pode ser vantajoso optar-se por um Bit Transceiver (Transcetor de Bits) (FZE1066)